segunda-feira, 3 de maio de 2010

DATE NIGHT / Uma Noite Atribulada

date night

ANO: 2010
PRODUZIDO POR:
Shawn Levy, Tom McNulty
REALIZADO POR:
Shawn Levy
ARGUMENTO DE:
Josh Klausner
COM:
Steve Carell, Tina Fey, Mark Wahlberg, Taraji P. Henson, Jimmi Simpson


Parecendo que não, a comédia é um género complicado. Se é verdade que o objectivo base de uma comédia é divertir o espectador, não é menos verdade que há um tipo de comédias em que se exige mais que isso: exige-se algum "sumo", alguma inteligência. Já referi isto
num post anterior, mas repito-o. Para mim, há dois tipos de comédia: as comédias cujo único objectivo é divertir e proporcionar duas horas bem passadas (as que eu chamo comédias "estúpidas") e aquelas que pretendem ser mais que isso (chamo-lhes comédias "inteligentes"). Há boas e más comédias de cada género. DATE NIGHT consegue ser as duas coisas e aí está o seu principal problema.

Phil e Claire Foster (
Steve Carell e Tina Fey) são um casal de New Jersey com dois filhos e cujo casamento entrou na rotina. Uma vez por semana vão jantar fora, numa tentativa de reacender a "chama", mas nem isso resulta. Uma noite, Phil decide levar Claire a um dos restaurantes mais elegantes da cidade, mas não consegue uma mesa. Ao ver que um dos casais com reserva, os Tripplehorn, não apareceu no restaurante, os Foster decidem aproveitar para ficarem com a mesa. A situação descontrola-se quando começam a ser perseguidos por Armstrong (Jimmi Simpson) e Collins (Common), dois homens que trabalham para o mafioso Joe Miletto (Ray Liotta) e que exigem a devolução de uma flash drive que os Triplehorn haviam roubado. Começa assim uma noite bastante atribulada, em que os Foster têm que fugir dos criminosos, encontrar a flash drive e localizar os verdadeiros Tripplehorn (James Franco e Mila Kunis), contando para isso com a ajuda do ex-militar Holbrooke Grant (Mark Wahlberg) e da detective Arroyo (Taraji P. Henson).

Os primeiros 30 minutos do filme monstram-nos a monotonia do casamento quando este cai na rotina. Quando Phil e Claire já sabem tudo um sobre outro, não resta mais nada para descobrir e os temas de conversa escasseiam. A partir daí passamos para um tipo de filme diferente, com sucessivas situações cómicas bastante bem conseguidas, mas sem a profundidade demonstrada anteriormente. E é por isso que DATE NIGHT não se define exactamente como um dos dois tipos de comédia que referi no início do post. Tem profundidade e tem piada, mas nunca ao mesmo tempo.

Uma comédia romântica vale pela química entre os seus protagonistas e é exactamente este o ponto forte de DATE NIGHT: Steve Carell e Tina Fey (na minha opinião, dois dos melhores comediantes da actualidade) funcionam muito bem como casal, tornando as várias situações cómicas ainda mais interessantes. Destaco ainda a participação de James Franco e Mila Kunis, que só peca pela sua brevidade.

DATE NIGHT é um filme com algumas falhas, mas bastante agradável e capaz de proporcionar duas horas bem passadas. Exigia-se um pouco mais, mas isto já não é nada mau.



1 comentários:

Filipe M. O. Ribeiro disse...

Ola! Eu fui ver este filme e gostei bastante! Passa-se um serão bastante agradável! Entretanto fui ver o filme "cidadão exemplar" e no intervalo ainda fui dar uma espreitadela à sala onde estava a dar o "date night"!

Bjs