domingo, 28 de novembro de 2010

HARRY POTTER AND THE DEATHLY HALLOWS: PART 1 / Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 1

Photobucket

ANO: 2010
PRODUZIDO POR:
David Barron, David Heyman, J.K. Rowling
REALIZADO POR:
David Yates
ARGUMENTO DE:
Steve Kloves (baseado nos primeiros 24 capítulos do livro homónimo de J.K. Rowling)
COM:
Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson, Helena Bonham Carter, Robbie Coltrane


O primeiro filme desta saga estreou nas salas de cinema em 2001. Passaram-se 9 anos e chegamos agora ao fim (ou quase). É o fim de uma era, para as personagens, para os filmes e para os espectadores. E este fim começa bem...

Após os acontecimentos do último filme Harry (
Daniel Radcliffe), Ron (Rupert Grint) e Hermione (Emma Watson) têm uma missão muito específica: encontrar as restantes quatro horcruxes, pedaços da alma de Voldemort (Ralph Fiennes), que lhe dão a imortalidade. Hogwarts ficou para tràs. Entretanto, o Senhor das Trevas e os seus seguidores tomaram o poder e pretendem criar uma sociedade de feiticeiros de raça pura, eliminando muggles e quaisquer outros com pureza questionável. Cabe aos três amigos tentar impedi-lo.

O tom ligeiramente infantil e "feel good" dos dois primeiros filmes ficou definitivamente para tràs. Este é um filme para adultos. O tom negro que já vinhamos vendo desde o terceiro filme instalou-se definitivamente, e ainda bem. A infância ficou para tràs, o conforto de Hogwarts também. Os três protagonistas saem para o mundo, onde a luta é mais difícil e dolorosa. Não sei se o facto de a própria J. K. Rowling estar na produção deste filme terá contribuído para isso, mas, a verdade é que, de todos os filmes, este é o mais fiel ao livro. Steve Kloves corta aquilo que tem que cortar e deixa ficar aquilo que tem que ficar. Dividir o livro em dois filmes foi, na minha opinião, uma boa decisão. É obvio que a questão monetária terá tido muito peso, mas não me parece que tenha sido o único factor: o último livro, apesar de não ser o mais longo, é aquele onde existe mais informação; essa informação tem que ser transmitida para se compreender a história. Bem sei que a minha opinião está filtrada pela leitura dos livros, mas continuo a pensar que cada cena que vemos neste filme é necessária. Li várias críticas que descrevem
HARRY POTTER AND THE DEATHLY HALLOWS: PART 1 como um filme lento e aborrecido. Discordo totalmente de tal afirmação. O que se passa é que não temos aqui tantas cenas de acção e as que existem são mais rápidas e curtas. Este filme centra-se, mais do que qualquer outro, nas personagens, substituindo a acção pelo suspense. E isso só traz benefícios.

A parte técnica acompanha bem o argumento, especialmente a excelente fotografia do português
Eduardo Serra: os ângulos da câmara, a forma como ela treme em cenas de suspense, a rapidez com que se move de uma cena para outra. Gosto especialmente das cenas na floresta, um espaço amplo mas sufocante. Também a banda sonora de Alexandre Desplat difere completamente daquilo que ouvimos nos outros filmes: é subtil, rápida e sem grandes pausas (nunca ouvimos o famoso "Hedwig's Theme").

Os actores estão melhor do que nunca: a evolução dos três protagonistas é notória; eles conseguem acompanhar muito bem a mudança de tom do filme. O casting secundário é, como sempre, excelente.

Não sei como alguém que não leu o livro vê este filme: compreende tudo ou precisa que lhe sejam explicados alguns pormenores? O grande problema aqui é que os restantes filmes foram mais direccionados para quem conhecia os livros, o que faz com que, chegando aqui, haja alguns aspectos da história que não foram explicados. Se todos os filmes tivessem sido tão fiéis ao livro como este, aqueles que não leram os livros teriam ficado muito mais satisfeitos. Este é, sem dúvida, o melhor filme da saga. E estou convencida de que a Parte 2 vai ser ainda melhor.

0 comentários: