quarta-feira, 17 de novembro de 2010

THE SOCIAL NETWORK / A Rede Social

the social network

ANO: 2010
PRODUZIDO POR:
Dana Brunetti, Ceán Chaffin, Michael De Luca, Scott Rudin
REALIZADO POR:
David Fincher
ARGUMENTO DE:
Aaron Sorkin (baseado no livro THE ACCIDENTAL BILLIONAIRES, de Ben Mezrich)
COM:
Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, Justin Timberlake, Armie Hammer, Max Minghella


Eu devo ser uma das poucas pessoas da minha idade que não tem conta no Facebook. Não porque acho que há alguma coisa de errado nisso, mas simplesmente porque nunca me seduziu. Apesar de não perceber muito bem as funcionalidades do Facebook, percebo que mudou completamente a forma de se fazer amigos online: é simples, eficaz e protege a privacidade (até certo ponto). Ainda não tem uma década e já tem milhões de seguidores em todo o mundo. E tudo isto começou num dormitório em Harvard...

Mark Zuckerberg (
Jesse Eisenberg) é um estudante de Harvard de 19 anos que, apesar de brilhante, tem dificuldade em relacionar-se convenientemente com outras pessoas. No início do filme ele tem uma discussão deveras estranha com a sua namorada, Erica (Rooney Mara), que imediatamente termina a relação. Com o orgulho ferido e deveras embriagado, ele imediatamente cria um site chamado FaceMash, onde é possível comparar raparigas. O site é um sucesso, e imediatamente chama a atenção dos irmãos gémeos Cameron e Tyler Winklevoss (ambos interpretados por Armie Hammer) e do seu colega Divya Narendra (Max Minghella), pertencentes à elite de Harvard. Estes propõe-lhe criar uma rede social exclusiva para a universidade. Mark concorda, mas decide fazer o site sozinho, ajudado financeiramente pelo seu colega e melhor amigo Eduardo Saverin (Andrew Garfield). Como seria de prever, este site (inicialmente chamado TheFacebook) tem ainda mais sucesso que o anterior, espalhando-se por várias universidades e eventualmente para fora do mundo académico. A imiscuir-se no negócio está Sean Parker (Justin Timberlake), o megalómano criador do Napster, que procura uma forma de voltar à ribalta.

Este filme, apesar de baseado em factos verídicos é altamente ficcionado; o próprio Mark Zuckerberg já disse que não foi bem assim que tudo se passou. Isso, no entanto, não tem grande importância: THE SOCIAL NETWORK é sobre muito mais do que o Facebook. É sobre o poder, a ambição, o dinheiro e, no final, sobre a solidão. Nesse aspecto, a última cena do filme é de uma simplicidade brilhante: Mark, o multimilionário, está sozinho; tendo perdido o melhor amigo no processo de subida na vida.

O argumento de Sorkin é excelente: os diálogos passam a um ritmo alucinante, sendo difícil até para as legendas acompanhá-los. A realização de Fincher é subtil, mas certeira, dando ênfase às cenas certas e não as prolongando mais do que o necessário.

O casting foi perfeito: Jesse Eisenberg encaixa que nem uma luva no papel do genial mas extremamente neurótico Zuckerberg; Andrew Garfield acompanha-o bem, no papel do único amigo do amigo do "geniozinho" e a quem ele não dá o devido valor. Surpreendentemente, até Justin Timberlake consegue uma performance muito boa como o ambicioso e insensível Parker.

Num mundo em que a palavra "amigo" se define num clique, é cada vez mais difícil conseguir fazer-se amigos a sério. O mais difícil, na verdade, não é fazer amigos, mas sim mantê-los. Porque o Facebook, por muito útil que seja (e é), não é o mundo real. Esse está, e estará sempre, fora do computador. E é lá que estão os amigos reais.


1 comentários:

Filipe Ribeiro disse...

Fui ver o filme também e gostei bastante. Está uma boa história! E sendo eu, provavelmente, dos portugueses com aconta aberta no facebook há mais tempo, gostei de saber a história do face. Caso para dizer "Gosto".

O ar malucoide de Zeckerberg é fantástico! O início do filme é algo se surreal quando ele está a falar com a futura ex-namorada!